×
Siga o CJ

Novo Fórum de Porto Velho: Obras estão com cronograma adiantado

IMG 5577 - Novo Fórum de Porto Velho: Obras estão com cronograma adiantado - comjustiça

Em visita ao prédio onde serão instalados todos os Fóruns de Porto Velho, na sexta-feira, 18 de janeiro, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Walter Waltenberg, acompanhado de juízes auxiliares, equipe de engenharia do TJRO e da imprensa, conferiu de perto o avançado estágio da obra que centralizará as unidades de atendimento ao cidadão na capital.

Iniciada em julho de 2018, a edificação localizada na avenida Pinheiro Machado, entre as Ruas José Bonifácio e Gonçalves Dias (antigo clube Ipiranga) é a aposta da administração do Poder Judiciário para oferecer um atendimento de qualidade ao cidadão, pois é construída no sistema Built to suíte (BTS), no qual os construtores arcam com todas as despesas e depois locam o prédio para o TJRO por um período de dez anos, podendo prorrogar esse prazo. Com valor de locação mensal fixado em 599 mil reais, a modalidade se mostra bastante econômica e eficiente para o setor público.

“Não sabemos como será o Judiciário no futuro, por isso temos de buscar soluções que se ajustem às novas tendências, sempre de olho na boa prestação jurisdicional, que é a nossa praia”, destacou o presidente aos jornalistas presentes, ao esclarecer que a modalidade BTS obriga a empresa a se responsabilizar por todos os custos de manutenção, durante a vigência do contrato.

Esclareceu ainda que a pulverização de prédios por toda a cidade aumenta consideravelmente os custos com postos de segurança terceirizada, limpeza, copeiragem e recepcionista, por exemplo. A centralização diminui os custos com vários postos de trabalho e facilita o acesso da população e advogados que utilizam esses serviços diariamente.

A obra é uma solução mais rápida e econômica para os prédios atuais dos Fóruns Cível e Criminal e Sandra Nascimento, além dos Juizados da Infância e Varas de Execução Fiscal, a partir de requisitos de funcionalidade, economicidade, acessibilidade e segurança para os jurisdicionados, magistrados e servidores, de acordo com a visão estratégica do Poder Judiciário do Estado de Rondônia, de ser uma instituição acessível, que promova Justiça com celeridade, qualidade e transparência.

Outro destaque do projeto é o material utilizado para a sustentação do prédio. Vigas de metal, os chamados steel deck, proporcionam maior agilidade na obra, já que chegam prontas da indústria e, após instaladas, já proporcionam a imediata construção das paredes. O edifício terá 10 pavimentos, com sala segura, rede lógica e elétrica estabilizada, gerador e nobreak, sistema de ar condicionado e manutenção predial completa. Também estão previstas 700 vagas de estacionamento, garantindo menor impacto na mobilidade urbana.

A juíza Euma Tourinho, auxiliar da presidência e titular do Juizado da infância e Juventude, destacou, durante a visita, o significado da entrega do prédio para servidores e magistrados, hoje lidando cotidianamente com espaços antigos, apertados e muitas vezes com necessidade de reformas. “Este projeto representa dignidade tanto para quem trabalha quanto para quem recebe a prestação jurisdicional”, disse.

Durante a visita os magistrados também puderam conferir as divisórias das salas, também de metal, que servirão de base para o encaixe das paredes em drywall (gesso). A previsão de entrega da obra é o final de 2019.

Fonte: TJRO

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Publicidade

banner juliano - MPRO discute ações institucionais para combate à violência no campo com Ouvidor Agrário Nacional - comjustiça

Curta Nossa Fan Page

Últimas Notícias

Publicidade

banner estrategia 300 250 - MPRO discute ações institucionais para combate à violência no campo com Ouvidor Agrário Nacional - comjustiça

Mais Lidas